Mercado de trabalho em Campo Grande: um panorama sobre a região

mercado de trabalho em campo grande

O mercado de trabalho em Campo Grande (MS) oferece excelentes oportunidades, sendo um dos mais fortes do Centro-Oeste. No entanto, é preciso estar qualificado para concorrer às melhores vagas e conquistar uma boa remuneração, uma vez que os melhores serviços da região são os mais especializados.

Não por acaso, um passo importante é conhecer os segmentos em alta e identificar quais as exigências dos contratantes. A partir dessas informações, você pode buscar o seu espaço na capital com um currículo que certamente chamará a atenção dos empregadores.

Neste conteúdo, explicamos as principais características do mercado em Campo Grande (MS), a fim de ajudar na sua preparação. Continue a leitura e entenda mais sobre as tendências e oportunidades da metrópole!

Como está o mercado de trabalho em Campo Grande (MS)?

A capital do Mato Grosso do Sul é o município com maior volume de riquezas do estado e o 30ª Produto Interno Bruto (PIB) entre cidades do País, totalizando cerca de R$ 27 bilhões, conforme números do IBGE.

O destaque nos indicadores se traduz em oportunidades de emprego em diferentes áreas. A maior parte da riqueza está concentrada no setor de serviços, cerca de R$ 14 bilhões

Por sua vez, a indústria movimenta aproximadamente R$ 3,7 bilhões enquanto a agropecuária, R$ 231 milhões. Os serviços públicos, como saúde, educação e segurança, fecham a lista com uma participação perto de R$ 5,2 bilhões.

Nesse sentido, diferentemente de outras cidades, como Três Lagoas, o setor agrícola não conta com a maior participação nos ganhos locais, embora seja bastante significativo. E, como veremos mais à frente, o agronegócio oferece boas oportunidades na capital, especialmente para profissionais com diploma de nível superior.

Rendimentos médios

O mercado em Campo Grande (MS) também se destaca por oferecer os melhores ganhos. Conforme a Pesquisa Nacional de Domicílios Contínua Trimestral (PNADC/T) do IBGE, o rendimento médio na ocupação principal do campo-grandense é de R$ 2.512,00. O valor é superior à média nacional e estadual — respectivamente, R$ 2.223,00 e R$ 2.150,00.

Além disso, os dados de 2017 indicam um total de 24.830 empresas atuantes em Campo Grande (MS), mantendo 288.774 pessoas ocupadas. E o ganho médio com carteira assinada é de 3,5 salários mínimos. A tendência é de melhoria desses indicadores, uma vez que, nos últimos anos, a economia nacional iniciou um processo de recuperação.

Um ponto interessante é que o diploma de nível superior é o principal fator para obter melhores remunerações. Enquanto no ensino médio os profissionais recebem, em média, R$ 1.916,00, os graduados alcançam R$ 4.682,00, segundo os números do último trimestre de 2019.

Não por acaso, frequentemente pessoas de outras partes do estado passam a morar em Campo Grande (MS) com o objetivo de trabalhar e estudar. Assim, a cidade se caracteriza por receber moradores de todo o estado, que encontram melhores condições de vida na capital.

Como é a demanda de emprego em Campo Grande (MS)?

O desempenho nacional vem se refletindo na economia da capital já há algum tempo. Em 2017, a taxa de desemprego no Mato Grosso do Sul alcançou o status de 2ª menor do Brasil. No segundo trimestre de 2019, o número permaneceu: o Estado tinha 7,5% de desocupação, ficando atrás apenas de Santa Catarina, enquanto a média nacional era de 11,8%.

Por sua vez, na capital, os números eram ainda mais favoráveis. A taxa de desocupação média era de 6,8%. Ou seja, de cada 100 pessoas aptas ao trabalho, algo em torno de apenas 7 não possuíam nenhum trabalho formal ou informal. Ademais, o percentual caiu para 5% entre os profissionais de nível superior, conforme a PNADC/T.

Os bons resultados do mercado de trabalho em Campo Grande (MS) alcançaram também os empregos com carteira assinada. Segundo dados do CAGED, houve um crescimento de 1,96% no saldo (admissões menos demissões) de contratações, considerando a última atualização, de janeiro a novembro de 2019.

Em números absolutos, foram criados 93.316 com saldo de 3.849. O resultado da metrópole acompanha a tendência de crescimento dos empregos no Estado, que teve variação positiva de 3,8%, impulsionada pela recuperação da economia.

O cenário, portanto, era de melhoria nas condições de trabalho em Campo Grande. Para se ter uma ideia, em 2019, o município havia batido o recorde de abertura de empresas no Estado. As expectativas, nesse contexto, eram bastante positivas, crescendo o otimismo das pessoas em relação aos empregos.

O que ninguém esperava era que a economia mundial fosse sofrer uma queda histórica devido à pandemia de Covid-19. Com todas as medidas de isolamento social, o mercado se viu diante de uma forte reformulação de projeções, com uma alta taxa de desemprego, perda de caixa e várias empresas lutando para não fecharem as portas pelo Brasil. 

Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, a Fundação do Trabalho (Funtrab) realizou 4.272 requisições de seguro-desemprego — em Campo Grande, foram 2.996 pedidos do benefício. Em contrapartida, tivemos um mercado aquecido: nunca utilizamos tanto a internet e a tecnologia como agora, para delivery, buscas, consumo de informação, entretenimento, operações bancárias, compras essenciais, entre outros serviços. 

Também é importante ressaltar que Campo Grande é uma das capitais que apresentam menor incidência do vírus, tornando o cenário da região mais promissor em relação à recuperação econômica em um futuro próximo. O que comprova isso são as diversas vagas de emprego ofertadas antes mesmo do fim da pandemia — com destaque para o varejo de alimentos, além do setor imobiliário e logístico. 

Em vez de olhar apenas para o lado negativo da situação, então, é interessante aproveitar esse cenário para se capacitar, já que o mercado demandará oportunidades, mas apenas para quem estiver preparado.  Afinal, em Mato Grosso do Sul um dos maiores requisitos para rendimentos mais altos é o nível de instrução.

Quais são as principais áreas de emprego na cidade?

Embora praticamente todos os setores apresentem algum crescimento, existem áreas que se destacam pelas características locais. Essas podem ser uma excelente opção de investimento para quem está planejando a carreira e busca qualificação profissional. Veja os setores em alta!

Comércio

Assim como outras metrópoles, o comércio é um setor com bastante força na capital do Mato Grosso do Sul. Atualmente, cerca de 36,92% dos estabelecimentos locais pertencem a esse segmento, conforme dados do perfil socioeconômico local. Ademais, no CAGED, o setor teve um crescimento de 2,89% de janeiro a novembro de 2019.

Se você busca trabalho em Campo Grande (MS), o comércio pode oferecer ótimas oportunidades. Além de atuar na gestão das empresas, é possível trabalhar nos setores especializados. Não à toa, graduações como Ciências Contábeis, Publicidade e Propaganda e Administração oferecem boa empregabilidade.

Outra dica é que diversos negócios estão em fase de transformação digital, adotando softwares para aprimorar a gestão e buscando a presença nas redes sociais. Logo, a tendência é haver mais espaço para recém-formados, que geralmente, estão mais familiarizados com as novas tecnologias.

Serviços

Uma segunda área bastante representativa é o setor de Serviços. A participação nos estabelecimentos locais é de cerca de 42,98%, mas é preciso ponderar a maior diversidade das atividades nesse segmento. No estado, foram 77.312 contratações até novembro de 2019, com saldo de 10.685 e crescimento de 5.84%.

Entre todos os subsetores, a área da Saúde é a que teve maior destaque. O saldo no período foi de 22,03% com 5.768 vagas acima do número de demissões. Nesse sentido, formações como Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia, Odontologia e Medicina Veterinária são boas escolhas para quem se identifica com o segmento.

Outra área com bom crescimento das contratações é a da Educação, que avançou 5,74%.Nesse caso, as licenciaturas, como Matemática e Pedagogia, podem render um bom retorno do investimento e ser uma opção para melhorar de vida.

Vale ressaltar que, por ter uma população de mais de 900 mil pessoas, o espaço para os prestadores de serviços estará sempre em destaque. Afinal, alguém precisa atender a essa demanda, não é mesmo?

Agropecuária

Os estabelecimentos de agropecuária e afins representam cerca de 6,17% do mercado em Campo Grande (MS). No entanto, é importante notar que a capital concentra os escritórios administrativos e unidades operacionais das grandes empresas do setor, como Cargill, JBS e BRF.

Igualmente, a metrópole concentra boa parte da área de Suporte no agronegócio. Call Center, Assistência técnica e Transporte, tudo isso gera oportunidades de emprego em Campo Grande (MS). Resumidamente, a presença na capital é estratégica para as organizações. Assim, o município central funciona como porta de entrada, mesmo que, posteriormente, o trabalho seja realizado em outra localidade.

Além disso, como não poderia deixar de ser, destacam-se as graduações em Agronomia e Engenharia Ambiental. A primeira trata não apenas dos aspectos técnicos dos cuidados com plantações e rebanhos, mas também das habilidades de gestão dos negócios rurais. Já a segunda é fundamental para as empresas cumprirem a legislação e crescerem de maneira sustentável.

Administração Pública

O setor Público também é um segmento em alta em Campo Grande (MS). O motivo é que, por ser a capital, muitas organizações controladas pelo Governo Federal e Estadual concentram unidades operacionais no município. Ademais, entre todas, a cidade conta com a maior arrecadação do Estado, com cerca de 3,6 bilhões.

Esses estabelecimentos públicos estão distribuídos da seguinte forma:

  • cerca de 107 de empresas estatais, como unidades do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal;
  • 44 de órgãos federais, como divisões do Tribunal Regional Federal e INSS;
  • 41 de origem estadual, como o Tribunal de justiça do Estado e a Polícia Militar;
  • 17 de propriedade do município, como a prefeitura e suas secretarias.

As contratações ocorrem por concurso público. Nesse sentido, com exceção das áreas especializadas — como Saúde e Educação — Administração de Empresas e Direito abrangem boa parte do conteúdo das provas e podem ser curingas para os interessados.

Quais são os requisitos desejáveis?

Embora existam outras classificações, para entender as exigências do mercado, é importante saber diferenciar hard skills e soft skills. As primeiras são as competências técnicas, como os métodos de trabalho e domínio de ferramentas, enquanto as segundas correspondem a comportamentos e atitudes no trabalho, como colaboração, inteligência emocional e iniciativa.

Nesse sentido, se você está planejando a sua carreira, a questão central é quais competências devem ser construídas para lidar com o cenário atual e futuro. O que inclui negócios cada vez mais transformados digitalmente e integrados ao mundo online.

Esteja inserido no mundo digital

Em relatório de 2019, a consultoria ManpowerGroup trouxe um interessante documento sobre como os profissionais devem lidar com a automação de tarefas. Afinal, a “robotização”, além de já ser bastante presente nas áreas de gestão e produção, avança em direção aos trabalhos especializados e intelectuais.

Segundo a organização especializada em Recursos Humanos, o foco para lidar com a automação são as soft skills. A conclusão a esse respeito é bastante clara:

Os candidatos que demonstram competências cognitivas avançadas, criatividade e capacidade para processar informações complexas, além de adaptabilidade e simpatia, podem esperar maior sucesso ao longo das suas carreiras.

Além disso, o relatório enfatiza que os atributos humanos serão mais valorizados nos colaboradores, enquanto a automação cuidará das tarefas rotineiras. Igualmente, as habilidades digitais — relacionadas à tecnologia da informação — ganharão peso nos currículos.

Nesse sentido, além dos cursos de Analise e Desenvolvimento de Sistemas e Ciências da Computação se destacarem como boa opção, mesmo pessoas de outras áreas precisam se integrar ao mundo da tecnologia.

A capacidade de aprender também deve estar em alta, e o profissional de sucesso será aquele que se mantiver sempre atualizado. Para se ter uma ideia, a consultoria estima que 54% de todos os funcionários terão de passar por aperfeiçoamentos e qualificação profundos até 2022.

Tome muito cuidado, portanto, ao escolher uma formação. Em um cenário como esse, podemos concluir que o papel da faculdade é construir princípios e fundamentos para que, com a constante atualização, você consiga se manter sempre um profissional de ponta. É que, como a tecnologia muda rapidamente, a capacidade de aprender ganha destaque, mas depende de bases sólidas para ser adquirida.

Fique atento às características locais

Outro ponto para considerar no planejamento de carreira são as condições do mercado em Campo Grande (MS). Por exemplo, como o agronegócio é um elemento central no Centro-Oeste, mesmo quem não atua na produção rural tem clientes relacionados ao tema, como bancos que oferecem crédito rural e médicos veterinários que tratam bois e porcos.

Imagine, para citar outro exemplo, que você escolheu um curso de Publicidade e Propaganda, visando atender as empresas em Campo Grande (MS). A campanha aqui não será igual à de São Paulo, pois o contexto e os negócios são diferentes.

Para facilitar o estudo, duas competências são indicadas para suprir essa necessidade de entender as características locais: a atitude de dono e o intraempreendedorismo. Atitude de dono é olhar para a empresa como alguém que deseja ver o sucesso organizacional, buscando entender os pontos fortes e fracos, bem como o contexto de negócios em que a entidade está inserida.

Já o intraempreendedorismo é a atitude de identificar necessidades e encarregar-se de buscar uma solução, apostando frequentemente na inovação em produtos, serviços e processos. Em síntese, em vez de abrir o próprio negócio, a pessoa direciona essa energia criativa para dentro da organização.

Obtenha um diploma de nível superior

O mercado de trabalho em Campo Grande (MS) não se difere muito dos outros quando o assunto é a importância do diploma. Sem a qualificação técnica necessária, a pessoa fica restrita a um cenário de menos oportunidades Ademais, o diploma, como visto, quase triplica os rendimentos mensais.

Vale ressaltar que a graduação se tornou muito mais acessível nos últimos anos. Além das mensalidades terem um excelente custo-benefício, existem opções de bolsa e financiamento estudantil para quem não consegue ou tem dificuldades em pagar pela formação, como FIES, Prouni e PEP.

No caso da Uniderp, também se destaca a facilidade de acesso às unidades. Ambas estão localizadas no centro da cidade, com uma logística simples principalmente para quem tem de trabalhar e estudar.

Ainda, além da tradicional presencial, existem metodologias de ensino diferenciadas que, com o auxílio da internet, dão maior flexibilidade de horários para o aluno. É o caso de modalidades inovadoras: graduação semipresencial e 100% online.

Lembre-se também de que, com a internet, as empresas recebem centenas de currículos todos os meses. Logo, sem o diploma, a tendência é nem sequer passar pela triagem, que serve para limitar o número de candidatos que serão entrevistados.

Como o profissional deve se capacitar para esse mercado?

A qualificação profissional passa pelo desenvolvimento de ambos os níveis de competência, hard skills e soft skills. Além disso, desde cedo, é importante pensar em conquistar alguma experiência profissional. Veja quatro dicas para estar preparado!

Descubra com qual área você se identifica

Em qualquer setor de atuação, o aprendizado contínuo será uma exigência para ser um bom profissional subir na carreira. Por isso, antes de escolher um curso superior, procure por testes vocacionais e comportamentais online.

A ideia é que, ao encontrar uma área com a qual se identifique, o estudo durante e depois da faculdade será mais agradável, graças ao interesse genuíno nos assuntos. Logo, haverá mais motivação para se atualizar e especializar na sua área.

Outra dica é aplicar a ferramenta de coaching chamada de “curtigrama”. Basicamente, desenhe quatro quadrados e, em cada um deles, responda uma das questões abaixo:

  • O que faço, mas não gosto?
  • O que gosto, mas não faço?
  • O que não faço e não gosto?
  • O que gosto e faço?

Procure refletir sobre quais disciplinas são mais aderentes ao seu perfil. Comece pela divisão em áreas, como Humanas, Exatas e Biológicas. Depois, reduza a lista a duas ou três opções de curso, confrontando ganhos e perdas para chegar ao ideal.

Uma dica é ler as descrições dos cursos na nossa página. Lá se encontram o público-alvo, os tópicos principais, a descrição, as modalidades disponíveis, entre outras informações para ajudar na sua avaliação.

Escolha uma instituição de ensino de qualidade

O passo seguinte é pensar em qual será a faculdade em que você fará a graduação. Aqui, a qualidade do ensino e a reputação são diferenciais competitivos importantes para chamar a atenção dos empregadores. Afinal, o contratante precisa estar seguro antes de realizar um investimento.

Se você busca empregos em Campo Grande (MS), o diploma da Uniderp será um acréscimo relevante ao currículo. Afinal, atuamos desde 1974 e contamos não apenas com o reconhecimento local dos empregadores, mas também com avaliações de níveis ótimo e bom nos exames realizados pelo Ministério da Educação.

Crie uma rotina de estudos

O protagonismo do aluno também é um fator determinante para adquirir a qualificação necessária. É que, como o ensino superior aborda assuntos técnicos, o comportamento frente aos estudos faz toda a diferença para entender e reter o conhecimento.

A primeira atividade relevante são as revisões. O ideal é sempre voltar aos assuntos no mesmo dia e nas semanas seguintes até que tudo esteja memorizado. Afinal, repartindo o conteúdo e tendo consistência, os assuntos não vão se acumular, sendo mais fácil conciliar trabalho e estudo.

Também é importante criar o hábito de tirar dúvidas com professores. Muitas pessoas não sabem, mas isso é possível mesmo no ensino online: os tutores no ambiente virtual recebem as demandas por mensagem dos alunos e auxiliam o aprendizado da matéria.

Se você tiver disponibilidade de horários, uma boa alternativa é apostar na graduação semipresencial. Nesses dois casos, uma parte do conteúdo é presencial, enquanto outra online, variando quanto às proporções.

A vantagem é o desenvolvimento de soft skills. De um lado, aprimora-se a capacidade de relacionamento e colaboração em sala de aula; do outro, a disciplina, autonomia e organização necessária para quem está no ensino online. Em síntese, simultaneamente, você aprende as hard skills e melhora comportamentos e atitudes.

Procure opções para aliar teoria e prática

Durante a graduação, tenha estágios, empregos, concursos públicos e programas de trainee no radar. É que, além de a experiência melhorar o currículo, certas competências são mais bem desenvolvidas com a prática.

No ambiente profissional, é muito comum a aprendizagem social. A partir da observação e orientação dos mais experientes, a pessoa absorve comportamentos e atitudes necessárias para sua carreira, como liderança e colaboração.

Além disso, o contato com os problemas do mundo real ajuda o entendimento de como o conhecimento é aplicado, bem como aspectos relacionados à inteligência emocional. Não à toa, os cursos também trazem cargas horárias obrigatórias de estágio, que são realizadas nos núcleos e laboratórios da faculdade.

No caso dos alunos da Uniderp, é possível pesquisar vagas de emprego no Canal Conecta para se inserir no ambiente profissional. O portal centraliza as oportunidades de estágio, contratação efetiva e trainee de organizações parceiras. Ah, também existem conteúdos exclusivos sobre mercado de trabalho, entrevistas de emprego, currículos e empregabilidade!

O que é preciso para se destacar no mercado de trabalho da capital do MS?

Quem planeja o crescimento profissional em um futuro próximo deve ficar atento aos pontos levantados até aqui, a fim de ter a maior empregabilidade possível em Campo Grande (MS).

Primeiramente, olhe as áreas com boas oportunidades de emprego e mapeie quais graduações podem qualificá-lo para atender à demanda existente. Como há diversos segmentos em alta, não será difícil conciliar essas oportunidades com a identificação com o setor.

Depois disso, o processo chega ao desenvolvimento competências técnicas e comportamentais. Para isso, além de escolher uma boa faculdade e tirar o máximo do conteúdo, fique atento às oportunidades para trabalhar na área do seu curso. E sempre que possível, mescle ensino presencial e online!

O objetivo é ser capaz de entregar valor para as empresas de maneira contínua. Isto é: mesmo se o cenário mudar e a tecnologia evoluir, você será capaz de se adaptar às transformações e manter a sua relevância profissional.

Sendo assim, o mercado de trabalho em Campo Grande (MS) estará de portas abertas. Afinal, você terá desenvolvido competências difíceis de encontrar nos profissionais, além de contar com uma formação robusta de nível superior.

Então, o que você achou do conteúdo? Se gostou, compartilhe o texto nas suas redes sociais e converse sobre as características do mercado local com seus amigos e seguidores!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

cursos uniderp

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.