MEI ou ME? Entenda qual é a diferença

mulher escolhendo entre mei e me

Está procurando uma forma de ganhar algum dinheiro extra? Se sua intenção é fazer uma faculdade a fim de mudar de vida, você está no caminho certo. Afinal, há muitas oportunidades de remuneração para profissionais qualificados.

Mas sabia que desde já você pode ter uma renda extra mesmo sem ter feito uma graduação? Existem plataformas que reúnem, por exemplo, freelancers e promotores de vendas, oferecendo a eles uma renda extra que só depende de esforço e dedicação. Acontece que, para aproveitar oportunidades desse tipo, geralmente é preciso trabalhar como pessoa jurídica. É aí que surge a dúvida: “Será que eu devo ser MEI ou ME?”.

Quer ficar por dentro do assunto e descobrir qual modalidade está de acordo com o seu perfil? Então, continue a leitura! Aqui no blog da Uniderp, você vai conferir, entre outras informações:

  • O que é MEI?
  • O que é ME?
  • O que é preciso para me tornar MEI?

Boa leitura!

Qual é a diferença entre MEI e ME?

Para escolher entre MEI e ME, é preciso levar em conta o faturamento que o seu pequeno negócio terá. Além disso, existem diferenças relacionadas com a complexidade da abertura da empresa, o número de funcionários, as atividades desempenhadas, entre outras.

Vamos analisar com mais detalhes as diferenças entre MEI e ME?

O que é MEI

Caso você decida trabalhar como MEI, ou microempreendedor individual, verá que a abertura da empresa é muito simples. Mas um dos principais fatores a serem levados em conta é o faturamento anual, que fica limitado a R$ 81 mil.

Como MEI, você só pode ter um empregado e pagar um salário mínimo para ele. Mas já que sua intenção é ganhar um dinheiro extra em alguma plataforma online, contratar um ajudante talvez não esteja mesmo nos seus planos, certo?

O regime tributário do microempreendedor individual é o Simples Nacional. Na prática, isso significa que os impostos são reunidos em uma única guia, que tem um valor fixo e pode ser impressa no Portal do Empreendedor. Quer outra boa notícia? Você não vai precisar de um contador, o que significa uma boa economia.

Há empresas familiares em que as pessoas até se dão bem, mas não têm uma boa noção de gestão de negócios. O problema é que isso acaba dando origem a problemas relacionados, por exemplo, com o pagamento de impostos e o fluxo de caixa. Por isso, seja uma pessoa organizada e mantenha todas as obrigações em dia, certo?

O que é ME

Uma ME, ou microempresa, por outro lado, tem uma estrutura mais robusta. Ela é voltada para negócios que tenham um faturamento anual de até R$ 360 mil. Além disso, a própria formalização é mais complexa, já que ela depende da elaboração de um contrato social que deve ser registrado na Junta Comercial.

Existem três opções de regime tributário. A primeira é o Simples Nacional, cujo recolhimento de impostos é calculado de acordo com a receita dos últimos 12 meses, e todos os tributos são reunidos em uma única guia.

Quanto ao Lucro Real, os tributos dependem da apuração de receitas e despesas registradas no livro contábil. No Lucro Presumido, existe uma presunção de lucro, que varia dependendo das atividades executadas pela empresa. É uma forma mais simples de apurar os tributos devidos.

Agora que você sabe o que é uma microempresa, talvez esteja pensando em como se faz para escolher o regime tributário. Bem, na hora de fazer essa escolha, é preciso contar com a orientação de um profissional que entenda bastante de tributação. Isso vai garantir que a empresa atue dentro da legalidade, sem pagar mais impostos do que deveria.

O que é preciso para me tornar MEI?

Agora que você conhece as diferenças entre MEI e ME, talvez tenha chegado à conclusão de que a melhor opção no seu caso é ser microempreendedor individual.

Mas é preciso dar atenção a certas questões e tomar alguns cuidados ao abrir um MEI. Por exemplo, tenha em mente que um microempreendedor individual não tem direito a seguro-desemprego caso seja dispensado pela empresa onde trabalha.

Além disso, quem é sócio de empresa não pode ser um microempreendedor individual. E caso você seja servidor público, procure saber se o estatuto do órgão permite que os funcionários sejam MEI.

Depois de avaliar todas essas questões, vá até a prefeitura e explique quais são as atividades que você está planejando realizar em casa. Isso é importante porque talvez haja alguma exigência extra aí na sua cidade, ok?

Finalmente chegou a hora de abrir seu MEI. Para isso, siga os passos seguintes.

Acesse o portal do empreendedor

Tome cuidado nessa parte, já que há vários sites com nomes parecidos. Você não quer entregar seus dados a desconhecidos, certo? O site oficial disponibilizado pelo governo federal é www.portaldoempreendedor.gov.br.

Preencha as informações de cadastro

Ao clicar no botão “Formalize-se”, você será levado a uma página que pedirá os seguintes dados:

  • CPF;
  • data de nascimento;
  • número do recibo da última declaração de Imposto de Renda ou o título de eleitor;
  • número da carteira de identidade;
  • telefone;
  • e-mail;
  • nome fantasia;
  • capital social — esse é o valor do investimento feito para iniciar o negócio. Por exemplo, foi preciso comprar mesa, cadeira e computador? Informe o valor de tudo isso. Caso você não tenha feito investimentos, pode deixar zerado.

Selecione as atividades do negócio

Em seguida, será preciso informar quais atividades serão executadas. Você pode indicar uma principal e até 15 secundárias. É isso que vai definir o segmento de atuação do seu negócio.

Depois disso, o sistema vai pedir o endereço. Por fim, você verá três declarações e, concordando com o que elas dizem, basta marcar as checkboxes que ficam ao lado de cada uma e clicar em “Continuar”. Pronto! Agora é só emitir seu certificado e se dirigir à prefeitura para obter seu registro municipal.

Nós falamos sobre trabalhar em plataformas que reúnem promotores de vendas, lembra? Imagine se você puder unir essa atividade à possibilidade de ajudar outras pessoas por meio da educação. Seria muito legal, não é mesmo? Existe um aplicativo que possibilita isso: o App Consultoria Educação. Essa é uma ótima opção de trabalho autônomo, que, aliás, requer cadastro como MEI.

O funcionamento do App Consultoria Educação não tem segredos. Por meio dele, você pode atuar como um promotor de educação, realizando ações como:

  • acessar informações e ofertas de cursos de graduação;
  • inscrever pessoas no vestibular;
  • gerar boletos de matrícula;
  • acompanhar status das premiações que você pode receber.

Gostou de entender as diferenças entre MEI e ME? Então, compartilhe este post nas redes sociais e leve nossas dicas para os seus amigos!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

bolsas enem
cursos uniderp

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content