Tecnologia na agronomia: tendências que vão revolucionar!

tecnologianaagronomiatendenciasquevaorevolucionar

A Quarta Revolução Industrial, ou Indústria 4.0, trouxe a aplicação das ferramentas tecnológicas para otimizar e automatizar processos — sobretudo no universo corporativo. No entanto, se você pensa que a vida no campo e o agronegócio não foram afetados por essa transformação, está muito equivocado. A tecnologia na agronomia é uma realidade cada vez mais presente nas lavouras, facilitando o trabalho e o rendimento dos agricultores.

Com isso, temos a chamada agrotecnologia: inovações que permitem aos produtores rurais prosperarem em meio a um cenário competitivo, que segue as exigências dos consumidores e do mercado. Quem opta por se graduar e se especializar nas áreas da agronomia e afins precisa estar por dentro delas, uma vez que as novidades não param de surgir.

A seguir, elaboramos um breve panorama sobre o segmento e mostraremos quais tendências vêm revolucionando a atividade no campo. Vamos lá?

A tecnologia na agronomia

É comum pensarmos que apenas as pessoas e os negócios urbanizados se beneficiam da tecnologia de ponta. Afinal, hoje, podemos trabalhar de forma remota e até mesmo cursar uma formação de nível superior online, contando apenas com um computador ligado à internet. No entanto, o campo também sofreu transformações significativas graças à agrotecnologia.

A inovação nas lavouras foi uma questão de sobrevivência para que grandes e pequenos produtores conseguissem se destacar e, ao mesmo tempo, impulsionar a economia do país. É preciso ter em mente que o agronegócio é responsável por uma grande fatia do PIB brasileiro, ou seja, as pessoas que atuam nesse setor precisaram se adaptar para suprir o mercado com eficiência.

De acordo com a Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão, 67% das propriedades agrícolas no Brasil, atualmente, fazem uso de alguma inovação tecnológica em suas produções. Entre os benefícios do uso dessas ferramentas, estão a praticidade para executar tarefas diárias, melhorias no planejamento e na mensuração de resultados por meio de dados, maior produtividade, mais ganho de safra e custos reduzidos.

Mas você deve estar se perguntando, como é aplicada a tecnologia na agronomia? Entre as principais tendências do setor, que detalharemos logo abaixo, estão:

  • sistemas de monitoramento meteorológico;
  • máquinas autônomas;
  • mapeamento de colheita;
  • drones;
  • GPS agrícola.

Principais tendências do setor

A seguir, mostraremos como as inovações citadas acima contribuem com a otimização de processos na agroindústria. É válido lembrar, primeiramente, que as lavouras precisam da atuação de profissionais capacitados para auxiliar o agricultor na gestão do campo.

Por mais que a tecnologia seja uma aliada indispensável hoje em dia, os ensinamentos básicos aprendidos na graduação são a base para que os profissionais que atuam no agronegócio — como engenheiros agrônomos, administradores de propriedades rurais, gestores ambientais etc. — utilizem tais ferramentas em prol de bons resultados.

Bom, agora que você já entendeu a importância desse alinhamento, vamos logo às inovações!

Sistemas de monitoramento meteorológico

Os sistemas de monitoramento meteorológico são fundamentais, pois ajudam no controle das condições meteorológicas para ajudar os agricultores a tomarem melhores decisões referentes à lavoura. Eles são compostos por instrumentos ou por sensores que recolhem dados sobre a análise do tempo, registrando a temperatura do ar, direção e velocidade do vento, radiação solar, probabilidades de chuva, pressão atmosférica entre outros fatores.

Máquinas autônomas

As máquinas que operam sem a necessidade de um condutor já são realidade em grande parte das lavouras no Brasil e no mundo. Aqui, estamos falando de equipamentos totalmente automatizados, que trazem economia em nível de recursos e tempo. A produtividade no campo também é potencializada, tendo em vista que essas inovações agregam em rapidez e em controle da qualidade.

Como exemplo, podemos citar:

  • tratores autônomos;
  • colheitadeiras com velocidade e acessórios regulados automaticamente;
  • semeadoras modernas;
  • equipamentos que preparam o solo etc.

Mapeamento de colheita

Antigamente, o mapeamento da colheita, bem como a gestão de todas as atividades do campo, era realizado pelo produtor/responsável de forma manual, seja por meio de planilhas no computador, seja no bom e velho caderno. O problema é que esse procedimento não só demandava tempo, como também estava sujeito a erros humanos, já que há a necessidade de cálculos e de centralização de dados.

Hoje, esse mapeamento se torna otimizado com o uso de um software agrícola. Cabe ao produtor ou responsável apenas inserir os dados de suas safras para ter em mãos as atividades a serem realizadas, inclusive aquelas referentes à colheita. Tais informações são armazenadas no computador, no tablet ou mesmo no smartphone do usuário, podendo ser acessadas a qualquer hora e lugar.

Uso de drones

Com os drones, o agricultor ou o responsável por fazer o acompanhamento das lavouras pode averiguar com precisão cada centímetro referente às safras. Esses pequenos veículos aéreos não tripulados, controlados remotamente, são equipados com câmeras em infravermelho que desempenham diversas funções. Entre elas, a averiguação de:

  • elevações de terreno;
  • falhas no plantio;
  • identificação de pragas e de adversidades etc.

Em outras palavras, os drones significam economia de tempo e de recursos, já que desempenham diversas funções. O melhor de tudo é que essa tecnologia não apresenta um alto custo de aquisição, a depender do modelo escolhido. Por isso mesmo são elementos cada vez mais presentes na agricultura.

GPS agrícola

O uso do GPS agrícola está diretamente ligado à agricultura de precisão. Essa área do agronegócio permite o aumento da produção e a redução do desperdício por meio dos dados coletados das lavouras. Tecnologias de referenciamento e posicionamento, como os sistemas de GPS, permitem o gerenciamento do campo metro por metro. Assim, são aplicadas as quantidades exatas de insumos e fertilizantes para cada área.

Essa é uma prática que gera bastante economia financeira para o agricultor, além de contribuir com o meio ambiente, já que envolve a sustentabilidade.

Viu só como a tecnologia na agronomia transforma e otimiza o trabalho dos produtores rurais? Gerir as safras com eficiência, atendendo às demandas do consumidor atual e do mercado, tornou-se uma atividade menos onerosa. Todos têm a ganhar: o agricultor potencializa sua lucratividade e a qualidade de seus produtos, e a sociedade é suprida com alimentos e itens cuidadosamente plantados, acompanhados e colhidos.

Confira como foi o Simpósio Repronutri, que contou com a parceria da Uniderp e apresentou novas tecnologias para produtores de MS:

Gostou das dicas do post? Então, que tal fazer com que mais amigos — até mesmo aqueles que queiram abrir uma startup de agronomia — se atualizem sobre o tema? Compartilhe agora mesmo o artigo nas suas redes sociais!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

cursos uniderp

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.